Redes sociais, para que vos queremos?

Se 2010 foi o ano da massificação das redes sociais, com o Facebook e o Twitter à cabeça, 2011 será o ano em que as empresas terão que aprender a usá-las. À sua custa, aprenderão que não basta despejar informação publicitária – quando não apenas um feed de notícias do respectivo blog ou homepage – num qualquer perfil ou página e esperar que os potenciais clientes adiram e os sigam cegamente.

Parece que a KLM já fez o trabalho de casa: na sequência da campanha KLM Surprise, tiveram mais de um milhão de reacções apenas no Twitter.

Overdose de Portugal

A propósito deste post da Gingko, em que o ex-embaixador inglês em Portugal lista as dez coisas que não deveriam mudar nunca no país, deixo-vos com este vídeo em que mais um estrangeiro vê a santa-terrinha com olhos de ver.

Look Up at the Stars, Portugal! from Matthew Brown on Vimeo.

Vade retro, 2010

O final do ano passado deixa-me poucas saudades, e isso reflectiu-se aqui no Café: dois posts em dois meses desafiam até as temporadas de maior abandono do estaminé. Claro que a vantagem é que 2011 só pode ser melhor.

À laia de despedida do ano que findou, aqui fica um muito atrasado “best of” condensado.

Livro do ano: o brilhante “Under the Dome”, de Stephen King, com um valente “hat-tip” ao Pedro pela sugestão.

Menção honrosa: “Freedom”, Jonathan Frenzen. Estou a acabar de o ler e é um portento.

Álbum do ano: “A Thousand Suns”, o conceptual com que os Linkin Park resolveram surpreender tudo e todos e marimbar-se (e muito bem) nas suas hordas de fãs (aliás, não sei como resultará ao vivo). Mas é o mais poderoso hino anti-guerra gravado nos últimos anos. Joschen Oppenheimer e o Rev. Marthin Luther King, Jr. estarão certamente orgulhosos dos “samplings” dos seus discursos incluídos nesta verdadeira obra-prima.

Menções honrosas:
* “High Violet”, dos The National, que continuam a fazer jus ao colonista do New Musical Express que os definiu em tempos como “a próxima melhor banda do mundo”. Com encontro marcado para Maio de 2011 no Campo Pequeno.
* “The Suburbs”, dos Arcade Fire. Muito perto da perfeição.
* “Go”/”Go Live”/”Go Quiet”, de Jónsi, mais conhecido como frontman dos Sigur Rós.

Faixa do Ano: o fabuloso “Sprawl II”, dos Arcade Fire. Fica como o hino do ano!

Filme do ano: o revolucionário Inception/A Origem. Ao fim de meses de o ver ainda me anda às voltas na cabeça.

Blog do ano: as Horas Extraordinárias que Maria do Rosário Pedreira, a “caça-talentos” nacionais da LeYa, nos proporciona desde Maio.

Menções honrosas:

* O blog da revista Gingko, pelas doses maciças de boas notícias, sugestões sustentáveis e optimismo.
* E o pssht… ó menina!, por muitas e boas gargalhadas.

Vídeo do ano: BirthRight, que me chegou pelas mãos do Rui Vasco. Um murro no estômago como precisávamos de levar com uma certa regularidade.

Menção honrosa: o premiado pelo Vimeo Last Minutes with Oden. Com o bónus de a música de Bon Iver ser quase uma segunda pele para este vídeo.

E é isto. (E a trabalheira que um post destes dá a fazer, mesmo assim resumidinho e atrasado?!?)

WikiLeaks: 06LISBON2365

Porque a liberdade de expressão vale mais que o secretismo securitário dos governos, porque a informação aberta vale mais que a diplomacia de cordel, porque a transparência vale mais que a debocheria das embaixadas, todos temos o dever de contribuir para a divulgação dos mais de 250 mil telegramas entre o Departamento de Estado e as 275 embaixadas americanas por esse mundo fora dados a conhecer ao mundo por Julian Assange e pelo seu WikiLeaks.

A Administração Obama conseguiu silenciar o servidor norte-americano da WikiLeaks, mas a Suíça alberga agora o site em: wikileaks.ch. A organização também pode ser seguida no Twitter.

Aqui fica o modesto contributo do Café da Manhã: a republicação integral do telegrama de 2006 em que a embaixada dos E.U.A. em Lisboa relata a pressão sofrida pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, para revelar o acordo dado pelo governo português ao transporte de detidos de Guantánamo através da Base das Lajes, nos Açores.

VZCZCXYZ0020
PP RUEHWEB

DE RUEHLI #2365/01 2931652
ZNY SSSSS ZZH
P 201652Z OCT 06
FM AMEMBASSY LISBON
TO RUEHC/SECSTATE WASHDC PRIORITY 5279
INFO RUEKJCS/SECDEF WASHDC PRIORITY
S E C R E T LISBON 002365

SIPDIS

SIPDIS
NOFORN

E.O. 12958: DECL: 10/19/2026
TAGS: PREL PGOV MOPS PO
SUBJECT: PORTUGUESE FM OFFERS TO RESIGN IF CIA FLIGHT
ALLEGATIONS PROVE TRUE

REF: A. 2005 LISBON 1609
¶B. LISBON 1921
¶C. OCTOBER 12 DVC (WITH DOS DOD AND EMBASSY LISBON)

Classified By: POL CHIEF TROY FITRELL, REASONS 1.4 (B,D)

¶1. (S/NF) Summary: Portugal's Foreign Minister offered to
resign if opposition forces can demonstrate any complicity on
the part of the government regarding alleged illegal CIA
rendition flights through Portuguese territory. While a
government investigation has refuted these allegations, the
saga continues due to continued opposition party and European
Parliament pressure. This pressure complicates the US
request to repatriate Guantanamo detainees via Portugal. End
summary.

¶2. (U) Ongoing pressure from Portugal's Left Bloc and from
the European Parliament led to a testy exchange in Portugal's
Parliament on October 18, in which Foreign Minister Luis
Amado offered to resign if the opposition could prove
Government of Portugal (GOP) complicity with the USG
regarding alleged illegal CIA flights violating Portuguese
sovereignty.

¶3. (U) Amado's most recent testimony reflected that of his
predecessor, Diogo Freitas do Amaral in December 2005 (Ref A)
and his own earlier testimony on September 5 this year,
noting the GOP had completed an investigation that discovered
no information to support allegations that CIA flights
violated Portugal's territory or airspace to transport
terrorism suspects. Amado told the Parliamentary Committee
that "None of the explanations or data collected...
constitutes a credible indication that the law may have been
broken on Portuguese soil." He went on to tell reporters
that a joint investigation by four government departments,
also involving the country's intelligence agencies,
immigration service and flight control authorities, conducted
a review of plane movements but found no firm evidence."
Amado admitted that the alleged CIA flights might have come
through Portugal, but added that Portugal "has nothing to be
ashamed of." According to the Minister, there is no evidence
that the CIA committed illegal acts in Portuguese territory
and even stated that he has had nothing but "total
transparency and cooperation" from American authorities.

¶4. (U) Freitas do Amaral had offered the government
investigation as a way to address the allegations. The
results, however, have not silenced the GOP's critics,
especially in the Left Bloc or the European Parliament.
Portugal's Parliament has established an ad hoc committee
to continue hearings on the subject and a delegation from the
European Parliament is scheduled to visit Portugal in
December to interview Amado, who has declined to visit
Brussels to meet with Euro Deputies.

Effect on Repatriation Request
------------------------------
¶5. (S/NF) Amado's testimony reflects the continued political
and media pressure on the GOP regarding this subject and
makes the GOP's efforts to assist in repatriation of
Guantanamo detainees all the more difficult. It is critical
that Washington readers recognize the GOP's need to ensure
that it is on solid legal ground regarding our request on
detainees.

¶6. (S/NF) Portuguese law, as interpreted by the GOP (which
could change), requires written assurance by the final
destination country that detainees will not be tortured or
receive the death penalty as well as a US guarantee that they
will be treated according to internationally-recognized
conventions in the destination country. Without these
assurances, the GOP will have difficulty n supporting
repatriation flights through Portuguese territory or
airspace. We eagerly await Washington addressees response to
the Portuguese points as discussed Ref C. The GOP will
undoubtedly expect this issue to be discussed at the October
24 meeting between Amado and Secretary Rice in Washington.

The Media
---------
¶7. (U) The local press eagerly reprints hearsay on this
tantalizing subject as left wing politicians unveil "new
facts" every few days to fan the political fires. Post
believes the media will continue to sensationalize the issue
as long as it has legs.

Comment
-------
¶8. (S/NF) The normally unflappable Amado lost his cool during
the testimony; an event that is completely out of character
and shows the effects of unrelenting media and political
attacks. Despite this outburst, we believe Amado will

continue to reiterate what the investigation has revealed -
the government has no evidence of illegal CIA flights
on/through Portuguese territory. However, Post underscores
the delicate balancing act Amado is confronting in minimizing
damage to his government - however unwarranted - due to the
CIA Rendition investigation while trying to convince it to
grant our request to repatriate Guantanamo detainees through
Lajes. Right now, it would be to our advantage to stroke him
a lot.
Hoffman

O segundo satélite da Terra

Cumprem-se hoje dez anos de permanência de seres humanos na Estaçāo Espacial Internacional. Como que para celebrar a data, a NASA envia amanhā o primeiro robot humanóide, o Robonaut 2, para bordo do nosso grande “satélite artificial”.

As aventuras do R2 podem ser seguidas na sua própria conta no Twitter.

In memoriam

O cancro do pâncreas é um dos mais mortíferos: apenas 10% dos doentes sobrevivem mais de um ano após o diagnóstico. E no entanto, há sobreviventes: as pessoas não são um número, uma estatística. Muitas escolhem a sua atitude perante a doença, envolvem-se na luta de forma activa e sobrevivem.

O New York Times oferece-nos um conjunto de inspiradoras entrevistas com pacientes que lutam com a doença ou aqueles que os assistem, numa semana em que foram reveladas notícias (em inglês e em português) que permitem adivinhar um futuro muito menos sombrio para quem enfrenta um diagnóstico de cancro do pâncreas.

(Post dedicado a alguém muito próximo que morreu há três anos. Gostaria de ter lido estas notícias nessa altura.)

Planeta (pouco) protegido

De vez em quando, a ONU lembra-se de nos recordar que não é apenas uma organização política internacional falhada: o novo site Protected Planet cataloga mais de 150.000 áreas protegidas em todo o mundo, do Parque Natural de Sintra-Cascais às montanhas de Timor Lorosae.

O projecto passa ainda por um site “gémeo”, o Protect Planet Ocean, que começa por nos recordar que apenas 1% da massa de água que cobre o planeta se encontra protegida.

O blog do projecto está aqui.

[Via Fugas]

%d bloggers like this: