Miguel Torga e a PIDE

Nem a propósito da vergonha nacional que foi a eleição de Salazar como o “maior português de todos os tempos” no bacoco concurso da RTP (promovido, portanto, com os nossos impostos), os Arquivos Nacionais da Torre do Tombo decidiram promover a “documento do mês” o espólio que possui dos arquivos da polícia política do regime do ditador sobre o poeta Miguel Torga. A instituição assinala assim o centenário do nascimento do escritor.

« […]

Não passarão!
Arde a seara, mas dum simples grão
Nasce o trigal de novo.
Morrem filhos e filhas da nação,
Não morre um povo!

Não passarão!
Seja qual for a fúria da agressão,
As forças que te querem jugular
Não poderão passar
Sobre a dor infinita desse não
Que a terra inteira ouviu
E repetiu:
Não passarão!
»

Este sim, é um homem que merecia figurar perto do topo daquela malfadada lista. Ficou 84 lugares abaixo do ditador. Por vezes, a gente deste país mete-me um profundo nojo.

[techtags: Miguel Torga, PIDE, Salazar, Grandes Portugueses, Torre do Tombo]

2 opiniões sobre “Miguel Torga e a PIDE”

  1. Última Hora:
    Jovem professor de Vila Franca da Beira investiga processo de Miguel Torga na PIDE

    Renato Nunes, um jovem professor da Escola Básica 2,3 de Oliveira do Hospital, natural de Vila Franca da Beira, foi um dos investigadores…

    que há pouco tempo concluiu um estudo sobre o processo de Miguel Torga na polícia política do Estado Novo – a PIDE. Este trabalho de investigação, realizado no âmbito de um seminário orientado pelo historiador Luís Reis Torgal, no Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX, da Universidade de Coimbra, vai agora ser editado pela Editorial Minerva, de Coimbra, sob o título “Miguel Torga e a PIDE – A Repressão e os Escritores do Estado Novo”. O livro, da autoria de Reis Torgal, conta com o prefácio de Clara Rocha – a filha de Torga – e contém alguns depoimentos de António Campos, amigo do escritor.

    De acordo com o que referiu há dias ao jornal Público o investigador Renato Nunes, um dos aspectos mais interessantes do processo de Torga na PIDE – com cerca de 450documentos – é “o interesse quase obsessivo da PIDE pelos vários domínios da vida do escritor. Em causa, estiveram “as violências sistemáticas da correspondência, o registo das suas viagens, dos encontros com amigos, até os rendimentos da sua actividade como médico”. No âmbito do centenário do nascimento de Adolfo Correia da Rocha – Torga nasceu a 12 de Agosto de 1907, em S. Martinho da Anta, Sabrosa -, a Torre do Tombo acaba de colocar na Internet, como documento do mês – em http://www.iantt.pt – , todo o processo de devassa que a PIDE juntou, durante 40 anos, sobre o médico, escritor e opositor do Estado Novo.

    30-Mar-2007

O teu comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: