Os seis de Benghazi

Kristiyana Valtcheva, Nasya Nenova, Valentina Siropulo, Valya Chervenyashka, Snezhana Dimitrova. Cinco nomes que a Europa e o Mundo parecem achar de difícil pronúncia, mas que devíamos reter na nossa “memória colectiva”. São elas as cinco enfermeiras búlgaras presas na Líbia há oito anos, acusadas, juntamente com o médico palestiniano Ashraf al-Hajuj, de ter deliberadamente infectado mais de 400 crianças num hospital líbio com o vírus da SIDA. Apesar de múltiplos especialistas internacionais terem considerado as acusações uma fraude, o regime do Coronel Kadaffi condenou-os à morte por fusilamento em Maio de 2004. Os relatos de que terão sofrido torturas físicas e psicológicas nas prisões líbias enquanto aguardam a execução da pena sucedem-se. E, para cúmulo, as autoridades líbias exigem a libertação dos terroristas responsáveis pelo atentado de Lockerbie em troca da vida dos seis inocentes de Benghazi.

Georgi Gotev, um jornalista búlgaro, propõe uma possível solução para o problema: que os partidos políticos do seu país incluam nas suas listas para as eleições para o Parlamento Europeu, a decorrer a 20 de Maio, os nomes das cinco enfermeiras, em lugar elegível. Será difícil para o bárbaro regime líbio justificar a execução de cinco deputadas do Parlamento Europeu…

O desenrolar do caso pode ser acompanhado na Wikipedia.

[techtags: Benghazi Six, Líbia, Bulgária, Palestina, Lockerbie]

Advertisement

Um pensamento em “Os seis de Benghazi”

O teu comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: