Too little, too late

Ontem a Etiópia, hoje o Mali e o Níger. O caso do Mali é duplamente preocupante, uma vez que o país cumpre os mais estritos critérios exigíveis pela comunidade internacional: um bom governo, de cariz muçulmano mas moderado, pagamento atempado do serviço da dívida externa, uma sociedade pacífica e coesa (a fonte é o insuspeito “The Economist”) – mas a ajuda continua sem chegar. A seca e as pragas de gafanhotos, conjugadas com o facto de estarmos perante o 4º país mais pobre do mundo, fizeram o resto.

As promessas do G8 em Gleneagles são para cumprir a prazo. Mas o prazo das oito mais ricas nações do mundo mede-se em milhões de vidas humanas.

O teu comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: