Uma execução de duas em duas horas


Foi este o trágico balanço do ano de 2004, o mais mortífero desde que o número de execuções é contabilizado pela Amnistia Internacional. Foram ainda condenadas à morte outras 7395 pessoas, em 64 países.

A China, o Irão, os EUA e o Vietname foram os mais activos nesta forma de crime contra a Humanidade. Note-se que o número de execuções na China é uma estimativa; um delegado ao Congresso do Povo Chinês afirmou em Março de 2004 que pelo menos 10.000 pessoas seriam executadas anualmente naquele país. Numa nota de esperança, Butão, Grécia, Samoa, Senegal e Turquia (e, já este ano, o México) aboliram a pena capital no mesmo ano.

O relatório da Amnistia Internacional está aqui.

%d bloggers like this: