Ajudem-nos a sair – II

Já me tinha ocorrido uns dias antes de ele o ter escrito:

Venha a boa moeda expulsar a má. Nem Santana Lopes, nem Sócrates são boas moedas. São as duas faces da mesma moeda má. É no PSD que se pode encontrar a boa moeda. Cavaco seria a melhor e deveria ponderar as consequências do seu próprio artigo no Expresso. É mais preciso no governo do que na Presidência da República. Se quiser tem tudo e todos com ele.

O PSD tem que perceber que esta é a única possibilidade de oferecer ao país a melhor alternativa (a alternativa que Santana Lopes dará ao país é o PS e Sócrates), poder ter uma maioria absoluta e fazer as reformas que o país urgentemente necessita. Não é messianismo, é realismo. É só querer.” (Pacheco Pereira, in Abrupto)

E eu acrescento: com o (ainda que improvável) aterrador cenário descrito acima e com M. Rebelo de Sousa na Presidência da República, não se pode pedir boleia aos senhores da entrada seguinte e fugir para o continente americano?? :-/

P.S.: O nosso “host” Paulo Querido também tem uma análise (de que discordo em vários pontos, mas constitui leitura interessante) sobre a situação política do país aqui. E a Vida Magenta resumiu a situação numa frase lapidar: E já agora, Sr. Presidente, que tal aproveitar a onda de bom senso e demitir-se?

Um pensamento em “Ajudem-nos a sair – II”

  1. Caro cafe: entendo que Pacheco Pereira queira. Sim, ele é realista e realisticamente era melhor para o país outra liderança no PSD. Mas não basta JPP querer; o eleitorado é que quer. E o eleitorado vai escolher entre Lopes e Sócrates.

    A frase da Vida Magenta é de facto lapidar 🙂

    Um abraço (e obrigado pela “leitura interessante”)

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: